Um olhar para a Amazônia - Olhares do Mundo

Um olhar para a Amazônia

As histórias de quem dá vida à iniciativa que recuperou a visão de 15 mil ribeirinhos

Funciona 24 horas por dia, 365 dias por ano, sem parar.  É resistente, mas ao mesmo tempo extremamente delicado. Tem limites, mas é infinito em suas possibilidades.  Mesmo com a mais alta tecnologia, nenhuma outra máquina consegue se renovar com a mesma capacidade, ou aprender com a mesma velocidade.

Em toda a natureza, nada se compara ao corpo humano. Preservá-lo é, mais que uma prioridade, um direito de todos. No entanto, nas áreas remotas da Amazônia, a falta de recursos e a distância dificultam o acesso de milhares de pessoas a uma saúde de qualidade.

Na década de 1990, o Dr. Jacob Cohen voltou seu olhar para a situação da população que vive na maior floresta do mundo e decidiu agir. Foi assim que surgiram os Projetos Amazônicos, através dos quais cirurgias de catarata gratuitas já recuperaram a visão de cerca de 15 mil pacientes carentes.

A partir de 2005 os Projetos Amazônicos ganharam o apoio dos oftalmologistas voluntários da Escola Paulista de Medicina, da UNIFESP, que percorrem o interior do Amazonas realizando as cirurgias. Outra realizadora do projeto é a Fundação Piedade Cohen (Fundapi), uma organização sem fins lucrativos que fornece serviços de saúde para a população carente do Amazonas.

As expedições acontecem em diversas cidades, onde os médicos permanecem por 24 horas examinando e operando os pacientes necessitados.

Para garantir os melhores resultados são empregadas as técnicas mais modernas, como a facoemulsificação. O processo é muito seguro e dura apenas alguns minutos. Nele, os médicos fazem uma pequena incisão nos olhos dos pacientes, quebram o cristalino danificado com ondas de ultrassom e o aspiram, depois inserem lentes intraoculares. Com o uso da chamada incisão em degrau, não há necessidade de sutura, pois a pressão natural mantém o corte fechado até a cicatrização. O procedimento pode ser realizado em ambulatórios e não precisa de anestesia geral, o que facilita a realização das cirurgias em locais com uma infraestrutura precária, como a Amazônia.

O uso dessa tecnologia avançada e de materiais de alta qualidade, como as lentes intraoculares ZEISS, permite que os pacientes voltem para casa no mesmo dia, com a visão totalmente recuperada e tenham um pós-operatório muito mais tranquilo, com baixo risco de infecções ou complicações.

O impacto que a nova visão tem na vida das pessoas é perceptível pela expressão de felicidade dos pacientes. O sorriso de Dona Maria Lúcia Leal, de Parintins, que não conseguia mais trabalhar devido à dificuldade de enxergar, demonstra o alívio trazido pela cirurgia.

“Eu não conseguia ver nada a noite. Só conseguia ler durante o dia e de muito perto. Não conseguia trabalhar mais por causa dos meus olhos, porque eu trabalhava com bordado e tapeçaria. Agora, depois da operação, eu consigo enxergar muito bem. Não doeu nada e eu queria muito fazer a cirurgia”, contou ela, em depoimento.

Para quem está começando a vida, os Projetos Amazônicos têm o poder de mudar destinos. É o caso da pequena Sofia Lima, que nasceu com catarata congênita e, por isso, não conseguia aproveitar a infância em seu máximo potencial. Aos cinco anos, ela passou pela primeira cirurgia e, graças ao projeto, também conseguiu operar o segundo olho, para a alegria de sua mãe, Lorena.

Histórias como essa são a recompensa de quem se dedica e passa dias viajando para fazer da Amazônia um lugar melhor:

“Nós sentimentos que podemos ajudar as pessoas a retomar suas vidas normais e atividades do dia a dia. Nos orgulhamos de ser parte de uma equipe que ajuda pessoas tão necessitadas”, comenta o Dr. Ricardo Nosé, um dos médicos voluntários do projeto.

Momentos como esse são inesquecíveis para quem os vive, mas também para quem se deixa tocar por essas histórias. O grande legado dos Projetos Amazônicos é imaterial; está no aprendizado da equipe médica, na beleza do por do sol amazônico refletido nos olhos dos pacientes, nos sorrisos de gratidão de quem se dedica a ajudar e de quem vê sua vida mudando em poucos minutos.

MAIS CONTEÚDOS