Seus olhos na era digital - Olhares do Mundo

Seus olhos na era digital

Saiba mais sobre os impactos da tecnologia na visão

A revolução tecnológica do último século deixou marcas profundas no ambiente e no modo de vida de diversas culturas, rompendo barreiras e criando possibilidades inéditas. A consequência é que agora o organismo humano também precisa se adaptar a essas modificações, mas enfrentar novidades sem paralelo pode ser um desafio e tanto.

Entre os órgãos mais exigidos estão os olhos, constantemente expostos a dispositivos eletrônicos com diferentes condições de leitura e luminosidade, um grande esforço para os músculos ciliares, que precisam constantemente alterar a visão entre um foco muito próximo e distâncias maiores (o que acontece quando se usa o celular enquanto caminha, por exemplo).

Tal mudança de comportamento é muito recente, considerando que durante milênios a maior parte das atividades humanas era realizada ao ar livre, fazendo com que os olhos se adaptassem à luz natural e longas distâncias. Por isso, uso excessivo da tecnologia está gerando algumas consequências para a visão.

Um dos exemplos é a fadiga ocular, que provoca o cansaço dos olhos, sensação de ardência e até dores de cabeça. Ela se torna bastante comum em pessoas que utilizam computadores por muitas horas seguidas, porque a tendência dos olhos é piscar menos quando olhamos para a tela, o que reduz a lubrificação ocular.

Alguns estudos analisam a possibilidade de que tamanho esforço para enxergar de perto e o fato de passarmos mais tempo em ambientes fechados esteja fazendo com que mais pessoas se tornem míopes, embora essa seja, a princípio, uma condição genética. A previsão da Academia Americana de Oftalmologia (AAO) é que, em 2020, 27,7% da população brasileira será míope. Em 2050, esse número pode chegar a 50,7% dos brasileiros.

Outra tendência que pode se tornar perigosa é a superexposição à luz azul-violeta emitida pelas telas. Esse tipo de luz é captada diretamente pela parte posterior dos olhos, atingindo uma região sensível chamada mácula, cujas células, após danificadas, não se recuperam.  A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é hoje a principal causa de cegueira no mundo e pode ser causada por exposição excessiva e prolongada à luz azul-violeta.

No entanto, já existem ferramentas que permitem utilizar a tecnologia sem corres riscos ou sentir sintomas desagradáveis. Um exemplo são as Lentes ZEISS Digital, que proporcionam conforto visual para usuários de dispositivos eletrônicos, pois são otimizadas para a distância de leitura de smartphones e computadores e contam com filtros para a luz azul.

Além disso, é muito importante se proteger também ao ar livre, utilizando óculos escuros com lentes polarizadas, que impedem que a radiação ultravioleta cause danos à visão. E, claro, o acompanhamento periódico com o oftalmologista é indispensável para identificar precocemente uma série de doenças e prescrever o tratamento correto, o que garantirá uma visão saudável por muito mais tempo.

MAIS CONTEÚDOS