A rainha das gemas - Olhares do Mundo

A rainha das gemas

Raras, preciosas e de todos os tipos, as pérolas tem uma história de mais de quatro mil anos

A Rainha das Gemas é a pedra preciosa mais antiga do mundo e sua raridade já conferiu por muito tempo o título de pedra mais cara e rara de todas as existentes. Há escritos antigos, datados de 2000 anos a.C, por exemplo, que já colocavam as pérolas como adornos pessoais. Seu nome vem do latim pirla, diminutivo de pira, que significa “formato de lágrima” e ela era, para os Romanos, um símbolo do amor.

É difícil saber exatamente quem descobriu as pérolas, mas na Idade Média, entre os séculos XII e XIV, vários países europeus criaram leis que proibiam pessoas que não eram da aristocracia de usá-las. Depois da Revolução Francesa, quando essas determinações deixaram de valer, a pedra ainda manteve seu caráter de luxo. No século XX, Jacqueline Kennedy, a primeira dama que era um ícone de moda e elegância, tinha como marca registrada o colar de duas e três voltas e os brincos solitários com o adorno.

Sua formação parece uma brincadeira da natureza. Naturalmente, a gema é resultado de uma ação do molusco contra invasores externos, que ele ataca com a substância chamada de nácar ou madrepérola. Quando depositados sobre o invasor, esses componentes cristalizam muito rápido, formando a esfera de cor clara que conhecemos. A proporção é de uma em um milhão, ou seja, extremamente raro. A maior parte das pérolas foi achada no Golfo Pérsico.

Aliás, hoje existem viagens que buscam resgatar as vivências dos caçadores do minério do século 19. Por centenas de anos, pérolas superfinas eram encontradas nas águas do Golfo e com a escassez de água e a terra infértil, a atividade foi por muito tempo a principal atividade econômica da região. É possível reviver isso em Dubai, em expedições que fazem mergulhos a 20 minutos da costa de Jebel Alin, de três a cinco metros de profundidade.

Com o tempo, os homens também desenvolveram um jeito de cultiva-las. Em um processo delicado e cuidadoso, que acontece nas chamadas fazendas de pérolas, os moluscos são criados até atingirem uma certa idade, quando são induzidos a criar a joia. Mesmo com esse método, não é garantido que todos os animais consigam produzir, ou consigam produzir com qualidade, por isso, mesmo as criadas não tem um processo fácil.

Cada ostra produz um tipo de diferente, o que também contribui para a classificação de raridade, aparência e qualidade. As de água salgada são usadas desde a antiguidade e, no passado, para encontra-las era necessário mergulhar em áreas perigosas, com tubarões e animais marinhos selvagens. As de água doce, dos rios, lagos e lagoas, são encontradas predominantemente na China.

Muitas joalherias fazem o teste de autenticidade, para garantir que a pérola não é falsa. Por serem orgânicas, elas precisam de muito cuidado na conservação. A limpeza deve ser feita apenas com pano úmido e macio e o armazenamento deve ser feito separadamente, envolvendo todo o material em tecido. Desde Julio Cesar, que ofereceu o presente a sua amada Servília Cepião, até hoje, as pérolas são apreciadas, amadas e simbólicas.

MAIS CONTEÚDOS