Pontes Monumento - Olhares do Mundo

Pontes Monumento

Mais do que meras linhas de trânsito, essas pontes se tornaram marcos em seus países

As pontes têm sido uma maneira de contornar obstáculos para a humanidade desde a pré-história. Se antes eram fruto de elementos naturais, como árvores caídas, aos poucos tornaram-se objeto de estudo da engenharia de vários povos ao redor do mundo, sendo consideradas uma das primeiras estruturas dominadas pelo homem, ainda na Idade do Bronze.

Valorizadas primeiramente por sua funcionalidade, as pontes evoluíram paralelamente a arquitetura, modificando-se de acordo com a necessidade do ambiente ao qual se destinavam, mas também com os propósitos e valores das sociedades que as construíam.

Desta forma, suas estruturas sofreram alterações estilísticas e estruturais, evoluindo desde a madeira, passando por pedras e ferro, até as modernas estruturas, fruto da mais alta tecnologia, que comportam milhões de veículos no mundo todo.

Hoje, além de sua importância logística fundamental, as pontes também são consideradas marcos históricos e estéticos e é impossível dissociá-las de sua dimensão artística e influência na sociedade. Um símbolo da importância das pontes nos projetos urbanos atuais são as pontes exclusivas para pedestres em centros urbanos. Dentro da tendência global de retomada das ruas pelas pessoas, valorizando o convívio e a interação no espaço público, em vez de enxergá-lo como mera via de transporte, elas se destacam como uma alternativa de deslocamento seguro e interativo.

A Ponte da Paz, localizada em Tbilisi, na Geórgia, é um exemplo de projeto que se encaixa em um ideal mais completo de renovação da cidade. Inaugurada em 6 de maio de 2010, ela atravessa o rio Kura e conecta o centro antigo de Tbilisi ao Rike Park, novo espaço destinado ao lazer da população local, tornando-se o elo entre a tradição e as modernidades locais.

Seu design inconfundível, em forma de arco, é obra do italiano Michelle de Lucchi. A bela estrutura ondulada, forjada em aço e vidro ganha ainda mais destaque durante a noite, quando são acesas as milhares de lâmpadas de LED embutidas na construção através de um sistema criado pelo designer de iluminação francês Philippe Martinaud.

Além de ser a principal entrada para o Rike Park, a própria ponte é um convite ao lazer e ao relaxamento, uma vez que também é ponto de observação para outros destinos turísticos, como a fortaleza Narikala. No distrito de Rike Park, os moradores da cidade podem usufruir de belos jardins, instalações artísticas e também um centro de shows e exposições.

O belo contraste entre as estruturas seculares de pedra e o projeto futurista da ponte é uma lembrança constante da união entre tradição e modernidade, em um país que foi assolado por conflitos durante seu processo de independência, nos anos 90, mas que hoje seguiu em frente e busca prosperar.

Do outro lado do mundo, em Cingapura, está mais um exemplo de ponte que une contrastes. O design impressionante da ponte Henderson Waves, que evoca formas orgânicas das ondas do mar, forma o elo ideal entre a paisagem da cidade, uma das mais modernas e urbanizadas do mundo, e um cinturão verde de parques.

É possível ver a integração até mesmo em suas matérias-primas, o aço, que forma as colunas de 36 metros de altura, e os arcos, feitos de tiras de madeira Balau, típica do sudeste asiático. Ao todo, são 274 metros de comprimento que fazem parte de uma trilha de 5 quilômetros de extensão entre três parques de Cingapura, com pontos para descanso e observação da paisagem ao redor.

A Henderson Waves, que comemora seu décimo aniversário em 2018, é fruto de um projeto mais amplo do governo de Cingapura que visava renovar a cidade. Criada pelo escritório de arquitetura RSP Architects lanners & engineers e a IJP corporation, a Henderson Waves é hoje a ponte para pedestres mais alta de Cingapura e já ganhou prêmios de design importantes, como o prêmio de design do presidente da Singapore Design Week em 2009, tornando-se uma atração famosa da cidade.

Fora do meio urbano, as pontes também servem como atração e representam alguns dos maiores desafios da engenharia moderna. A famosa ponte de vidro de Zhangjiajie, na China, foi inaugurada ano passado com o objetivo de quebrar recordes e movimentar o turismo local. Suspensa em um Canyon de 300 metros de profundidade, ela se estende ao longo de 430 metros e é considerada a maior ponte de fundo de vidro no mundo.

O resultado é impressionante, tanto pela magnitude quanto pela beleza do projeto, que está localizado em um dos mais belos parques naturais da China. No entanto, seu sucesso foi além do esperado e atualmente ela não está aberta ao público. Após sua inauguração, ela precisou passar por adequações para conseguir receber mais turistas que sua atual capacidade, de 8 mil visitantes por dia. Um ótimo exemplo de que mesmo com tantos avanços da tecnologia, ainda há muito a explorar.

Seja para fins de lazer ou transporte, as pontes continuam impressionando e se reinventando com o passar do tempo, em uma prova de como até mesmo conceitos já conhecidos podem se renovar se analisados sob novas perspectivas.

 

MAIS CONTEÚDOS