Lugares memoráveis - Olhares do Mundo

Lugares memoráveis

Como um artista holandês expressa suas lembranças em telas

Ter uma boa memória visual é o sonho de muitos, mas o artista holandês Stefan Bleekrode, de 28 anos, é muito acima de qualquer média imaginável. Aquela vontade universal de guardar cada pedacinho de um lugar incrível que você conheceu na mente para ele é bem fácil de realizar, já que só pela memória ele já desenhou detalhadamente dezenas de cidades, construções e monumentos.

“A maioria das pinturas surge de pequenos flashs de viagens ou lugares da rotina diária. São pedacinhos de beleza escondidos nos cenários, ainda que familiares”, conta Stefan. Então, o artista combina esses momentos com um pouco de imaginação e transforma em minuciosos retratos. A maioria das ideias são definidas no dia a dia urbano e suburbano norte-americano e londrino.

Inicialmente o artista focava em pinturas de paisagens impressionistas e pós impressionistas, inspirado em Monet e Van Gogh. Mas, a partir da sugestão de amigos, ele descobriu a arte americana em geral, mais especificamente de Edward Hooper. Assim, ele continuou pintando em óleo até 2006, quando, depois de visitar uma retrospectiva do artista Andrew Wyeth, ele começou a pintar com aquarelas e a técnica tempera, que usa pigmentos e que confere essência ao trabalho de Bleekrode.

O holandês é totalmente autodidata, e começou a desenhar a lápis, aos 10 anos, cidades imaginárias para tentar satisfazer sua vontade de viajar o mundo. Com o passar dos anos ele desenvolveu as habilidades técnicas e aumentou a riqueza de detalhes em suas “cityscapes”, mistura de city (cidade) e landscape (paisagem), como ele como gosta de chamar, chegando à quase perfeição que são suas obras hoje.

Como ele mesmo diz, a “luz é o único elemento sobre o qual, necessariamente, as pinturas giram em torno. Na ausência de luz do dia eu fico feliz em trabalhar também com a luz artificial, nas noites desertas das ruas. Esse é o ponto principal de meu trabalho em qualquer época, a luz”. Os desenhos não são apenas reproduções fieis dos lugares onde Stefan esteve, mas são recriações também das sensações e sentimentos de quando ele passou por lá.

Embora sua memória seja realmente surpreendente e pareça desumana, muito raramente o artista recorre também à fotografias para deixar as pinturas mais fiéis ainda. Stefan pretende continuar a pintar por toda a sua vida, porque além de ser sua paixão e vocação é a maneira que ele encontrou de nunca esquecer os lugares onde esteve e os momentos que viveu por lá.
cid_db247c07-3c2b-4f68-a5c4-2c68b3c2d99e

MAIS CONTEÚDOS